MITOLOGIA

A vingança de Apolo e a punição de Flégias

Flégias

O guarda chegou apressado e empertigou-se ao lado de Licos(Λύκος), o comandante das forças armadas de Tebas.

— Senhor, o rei agoniza e o chama à sua presença.

Licos esperava a morte de Lábdacos(Λάβδακος) para qualquer momento. Quando o seu rei travou uma guerra contra seu vizinho, o rei Pandion(Πανδίων), de Atenas, foi gravemente ferido. Depois da derrota que sofrera, Lábdacos voltou a Tebas e proibiu o culto a Dionísio(Διονυσος).

Por conta desta proibição foi atacado impiedosamente pelas Bacantes, durante um frenesi alcoólico por tamanha afronta ao Deus dos vinhos. Enfraquecido, contraiu um mal incurável que desafiava todos os médicos da corte.

Lábdacos era um homem bom. Apesar de sua derrota, lamentou profundamente o destino de Procne(Πρόκνη) e Filomele(Φιλομήλα), as filhas de Pandion e, muitas vezes, comentou com Licos a infelicidade que tantas vezes caíra sobre as casas reais.

— Parece maldição dos deuses — dizia, olhando, triste, para o céu.

Licos não gostava de conversar sobre os deuses e maldições, mas no íntimo, sabia que Lábdacos tinha razão. Lembrava-se muito bem do dia em que chegara a Tebas, junto com seu irmão Nicteus(Νυκτεύς), fugindo de Ares(Ἄρης) que os perseguia implacavelmente por terem matado seu filho, Flégias(Φλεγύας), o rei da Eubeia.

Flégias era filho do divino Áres e Crisa(Χρύση). A princípio, foi rei de Lárissa, na Tessália. Em seguida, reinou em Orcômenos, sobre um povo da Beócia que se chamou flégios, e a região passou a chamar-se Flegíade. Tinha duas crianças pequeninas, uma menina chamada Corônis(Κορωνίς), e um garoto chamado Ixion(Ἰξίων).

Um dia, acompanhado de sua filha Corônis, viajou para o sul da Hélade (o Peloponeso) com o objetivo de conhecê-lo para mais tarde conquistá-lo. E fê-lo anonimamente. Porém Corônis, durante o percurso, foi seduzida pelo deus Apolo(Ἀπόλλων) e logo ficou grávida.

Enquanto estava grávida de Asclépio(Ἀσκληπιός), Corônis apaixonou-se por Ischys(Ἰσχύς), filho de Elatus(Ἔλατος). Um corvo branco, que apolo deixou vigiando sua amada, o informou do caso. O ódio do deus foi tão grandioso naquele momento, que sua fúria queimou as penas da ave, tornando-as todas negras, e a partir daquele momento todos os corvos se tornariam negros.

Apolo então enviou sua irmã Ártemis(Ἄρτεμις) para matar Corônis, uma vêz que o mesmo não poderia executar tal ato. Em seguida ordenou que Hermes(Ἑρμής) retirasse a criança do ventre de sua amada antes que a mesma fosse consumida pelas chamas da pira crematória e o desse ao Centauro Quíron para criar.

— Maldito seja, Apolo! — Esbravejava Flégias — Pagará pela audácia de ter mexido com a minha família.

Completamente fora de si, o regente dirigiu-se ao templo de Apolo.

— Você acabou com a minha família, sendo assim nenhuma graça ou adoração será garantida a você Deus imundo.

Tomado pela raiva, apoderou-se de uma das tochas do templo e ateou fogo no mesmo. Licos e a Nicteus que por ali passaram, tomaram Flégias por um profanador de templos e sem titubear assassinaram o imprudente soberano. Repentinamente as chamas do templo apagaram-se e os mesmos foram envoltos em uma luz misteriosa e a voz divina de Apolo chegou aos seus ouvidos.

— Sou grato, pelo que fizeram. Puniram o malfeitor em sua vida terrena, porém a desonra dele para com os deuses será lembrada eternamente. Incendiar meu templo ele tentou, mortal estupido, pelo fogo de Hades(Άδης) o lançou ao Tártaro, onde será atormentado pela fúria Megera(Μέγαιρα). Licos e Nicteus que isso sirva de exemplo para nunca contrariarem os deuses, no entanto devo adverti-los,o regicídio de Flégias não passará despercebido pelo meu irmão Ares, sigam para Tebas, lá encontraram abrigo e em sua jornada mal algum se abaterá sobre vocês.

Sendo assim, deixaram Híria, a cidade de seu pai, Apolo grato a Licos e a Nicteus pelo extermínio de Flégias, ocultou-os aos olhos de Ares, permitindo que chegassem a Tebas em segurança, onde o rei Penteus os acolheu e lhes deu residência fixa.

Fonte: Olimpo - A Saga dos Deuses
Emmanuel Mourão - Mitologia grega ao alcance de todos.

Foto: Diego Gisbert
Mitologia - OpenBrasil.org

Postagens mais visitadas